ter. mar 19th, 2019

Flamengo e Independiente se enfrentam pela Copa Sul-Americana nesta quarta-feira

Atacante Felipe Vizeu (esq), abraçado pelo lateral Rodinei, pode ser artilheiro da Sul-Americana.

Ainda não é o fim

Kleber Vieira

Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo

Para os torcedores que vivenciaram as emoções do recém-terminado Campeonato Brasileiro, cheio de alternativas, mas com o título corintiano praticamente definido ainda na primeira fase, aviso que ainda há algumas noites de tensão reservadas.

Os clubes já estão de férias a partir desta segunda-feira sem muito sol em algumas capitais, mas a despeito daqueles que não disputam mais nada, há os que sonham com algo melhor. O único que ainda pode ganhar alguma coisa é o Flamengo, que já está em solo argentino, para enfrentar o Independiente, na primeira partida da Copa Sul-Americana na quarta-feira, às 21h45, no Estádio Libertadores de América, em Avellaneda – o segundo jogo é dia 13, no Maracanã.

Mesmo não entrando em campo, vascaínos e atleticanos, rivais históricos, dizem (mas eu não acredito) que não vão torcer para o rubro-negro carioca, embora a conquista do Flamengo signifique a vaga na fase de grupos da Copa Libertadores ao Gigante da Colina e, ao Galo mineiro, a classificação para a primeira fase desta mesma competição.

Parada dura

O Independiente é tido como ‘time copeiro’, ou seja, especializado neste tipo de competição de jogos eliminatórios, ou mata-mata. O Flamengo nem é assim tão expert, porém sue técnico, o colombiano Reinaldo Rueda, é o atual campeão da Libertadores, tendo levado o Atlético Nacional de Medelín ao título de 2017.

O Flamengo já está previamente classificado para a Libertadores, em função da colocação no Brasileirão, o que significa que, o ano não foi de todo perdido, apesar da campanha irregular, com um time milionário. Porém, o Natal rubro-negro terá maior alegria (e muito dinheiro) se o time vencer a Sul-Americana, já que carece de títulos internacionais desde 1999, quando ganhou a Copa Conmebol.

E o lucro do Flamengo pode ser ainda maior, pois o jovem Felipe Vizeu, de 21 asnos, é um dos principais artilheiros da Sul-Americana, com cinco gols. Ao lado dele, com o mesmo número de gols, estão o argentino Luís Rodrigues, do Clube Atlético Tucumán (Arg), e o equatoriano Jhon Cifuentes da Universidad Católica (Chi), além do brasileiro André (quatro gols), do Sport, que não jogam mais. Um golzinho do Vizeu e…

Comemoração merecida

Domínio absoluto de São Paulo no Campeonato Brasileiro, com o campeoníssimo Corinthians, vindo o Palmeiras, em segundo, e o Santos, em terceiro. Tanto o segundo e o terceiro colocados, como Grêmio, Cruzeiro e Flamengo, que vieram em posições subsequentes, se esforçaram muito, mas foram incompetentes ao não aproveitarem as bobeiras – e foram muitas – que o Coringão deu, principalmente no returno. Merecida festa da Fiel.

Seleção na boa

 Já com relação à seleção Brasileira, que vai pegar Suíça, Costa Rica e Sérvia, na Copa do Mundo, o sorteio foi muito bom. Dificilmente deixará de passar à fase seguinte, a se manter o nível das atuações sob o comando de Tite. O problema é que os otimistas já dão o Brasil como primeiro colocado do Grupo E. Sei não.

Favorito é, mas essa história de favoritismo costuma cair quando a bola rola. Que o diga a Islândia, zebra que vai ao primeiro Mundial em sua história, depois de uma bela participação na última Eurocopa. Está classificada no Gruo D, junto com Argentina, Croácia e Nigéria. Esses vikings vão ter de suar as barbas se quiserem mudar de fase.

Estou chegando agora e só falei de futebol, afinal foi o que nos moveu nesse fim de ano. Porém, há muito de esporte para a gente movimentar por aqui. Como diziam Os Impossíveis (desenho da minha infância)…

“E, vamos nós!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *