ter. mar 19th, 2019

Montanha de lixo desmorona e mata pelo menos 17 pessoas

O desmoronamento do lixo sobre as casas ocorreu devido às fortes chuvas

Foto: Elien Minoa
Samantha Hennzell

MOÇAMBIQUE | Pelo menos 17 pessoas morreram e outras dezenas ficaram feridas depois que um enorme monte de lixo desmoronou, na madrugada da segunda-feira (19), em Maputo, capital do Moçambique, declararam autoridades do país.

A pilha de resíduos, com cerca de 15 metros de altura, ruiu devido as fortes chuvas na madrugada da segunda-feira. O lixão é o lar de alguns dos moradores mais pobres da cidade, e onde construíram suas casas improvisadas .

Cinco casas localizadas no entorno também foram esmagadas no desastre. Profissionais de resgate continuam com as buscas por sobreviventes.

O porta-voz dos serviços de emergência, Leonilde Pelembe, alertou que é provável que haja mais vítimas sob os detritos.

“A informação que recebemos das autoridades locais é que o número de pessoas que vivem nessas casas excede o número de mortes registradas”, disse Pelembe.

O Distrito de Hulene, em Maputo, é uma das partes mais desfavorecidas da capital. Muitas pessoas, incluindo crianças, não têm escolha e acabam construindo barracos próximos da área de despejo de lixo e resíduos.

Tragédia anunciada

Pelo menos 17 pessoas morreram e outras dezenas ficaram feridas

O lixão no Distrito de Huelene existe desde a década de 1980, e desde então o lixo só acumula. Segundo as autoridades municipais, foram realizadas algumas tentativas para limpar a área. Cada vez que vem a estação chuvosa, eles removem as pessoas que recebem lotes de terra para construir suas casas. Mas elas sempre retornam no período da estiagem, pois a área é também de onde retiram alimento.

O governo moçambicano prometeu diversas vezes que fecharia definitivamente o lixão, inúmeras ordens de despejo foram emitidas aos residentes da área para que deixassem o local, porque as casas foram construídas ilegalmente.

No entanto, uma residente local cujo filho foi ferido no deslizamento de terra, Maria Huo, disse: “Eu moro neste local porque não tenho para onde ir. Se o governo nos auxiliasse mesmo a conseguir um outro lugar para morar, eu já teria deixado aqui”.

A cidade de Maputo teve um período de fortes chuvas ininterruptas que iniciou no domingo pela manhã, e causou inúmeros danos em casas e inundou estradas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *