ter. mar 19th, 2019

Após denúncias de assédio, The Weinstein Company pede falência

Harvey Weinstein foi acusado de assédio sexual por inúmeras celebridades de Hollywood

Foto: Reprodução CNN
Debora Telli

De acordo com a imprensa norte-americana, a The Weinstein Company (TWC) entrou com pedido de falência após uma fracassada negociação de venda da empresa em um acordo milionário.     

A produtora, que entrou em crise após virem à tona inúmeras denúncias de abuso sexual por parte um de seus fundadores, Harvey Weinstein, em outubro de 2017, havia sido leiloada e comprada pela empresária Maria Contreras-Sweet, que tinha a intenção de fazer mudanças na empresa e criar um fundo de apoio às vítimas de Harvey.

O acordo de venda começou apresentar problemas quando a justiça começou a impor condições para a venda. O estado de Nova York abriu processo contra a companhia em 11 de fevereiro, com a acusação de a TWC não proteger suas funcionárias de assédio e agressão sexual, e bloqueou a operação de venda.

A ação foi aberta sob o temor de que, caso a venda se concretizasse, muitas vítimas pudessem não ser devidamente indenizadas.

Além dos processos de assédio, há ainda questões comerciais, como uma compensação solicitada pelos produtores Scott Lambert e Alexandra Milchan, devido ao fim de uma série de planejada para Amazon, e um processo de mais de US$ 130 mil aberto pela fabricante de chocolate Lind, pelo cancelamento de uma festa pós-Globo de Ouro pela qual a empresa já havia realizado o pagamento de uma cota de patrocínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *