ter. mar 19th, 2019

A Libertadores não é moleza

Clubes brasileiros sofrem muito para vencer a competição

O Flamengo só empatou em 2 a 2 com o River Plate, uma prova de que jogar em casa não garante resultado positivo.

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo 
Kleber Vieira

É claro que o Flamengo, em vez do 2 a 2 com o River Plate, da Argentina, na quarta-feira, poderia ter saído com uma vitória, por jogar no Rio de Janeiro. Mas é bom lembrar que Copa Libertadores não é moleza, é guerra. E nem sempre jogar em seus domínios assegura resultado positivo ao mandante.

O Independiente, da Argentina, é o maior vencedor da competição, com sete conquistas. Havia uma frase, no clube, como se fosse um alerta aos adversários: “la Libertadores se mira, pero no se toca” (A Libertadores se olha, porém não se toca).

Domínio argentino

Depois do Independiente, o segundo com mais triunfos na competição é o Boca Juniors, também da Argentina, com seis taças. O Peñarol, do Uruguai, vem em terceiro lugar, tendo vencido cinco vezes, seguido dos argentinos Estudiantes (quatro) e River Plate (três), este último empatado com Grêmio e São Paulo, do Brasil.

Dos clubes cariocas, somente Vasco e Flamengo têm uma Libertadores cada. O Gigante da Colina ainda tem um título do Campeonato Sul-Americano, em 1948, competição que precedeu a Libertadores.

Última rodada

À exceção do Palmeiras, que venceu por 3 a 0 o Junior de Barranquilla, os demais resultados foram surpreendentes. O Santos perdeu de 2 a 0 do Real Garcilaso, em Cuzco.

O Deportivo Lara, da Venezuela, ganhou do Independiente, da Argentina, por 1 a 0, e o poderoso Boca Juniors não passou de um 0 a 0 com o Alianza, em Lima. Portanto, o 2 a 2 do Flamengo com o River Plate e o 1 a 1 do Grêmio com o Defensor, do Uruguai, foram absolutamente normais.

Qualquer resultado inesperado é considerado comum na competição mais ferrenhamente disputada no continente sul-americano.
Afinal, isso é a Libertadores, e quem a disputa precisa ser aguerrido e ter o tão falado ‘espírito de Libertadores’.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *